Bloco conjunto Angola/República do Congo já produz petróleo

30 November 2015

O projecto de exploração petrolífera conjunta entre Angola e o Congo Brazzaville está já a produzir 40 mil barris por dia, afirmou em Luanda o ministro dos Petróleos de Angola, citado pelo Jornal de Angola.

O ministro Botelho de Vasconcelos, que falava no final da 25.ª reunião da comissão conjunta de acompanhamento, disse que o nível de produção previsto foi atingido e acrescentou que a exploração vai prosseguir, não obstante a queda do preço do barril, “pelo facto de todas as variáveis terem sido acauteladas desde a fase inicial.”

“A baixa do preço do petróleo não causará nenhuma preocupação no nível de produção do campo de Lianzi”, disse Botelho de Vasconcelos, tendo o ministro congolês dos Hidrocarbonetos, Jean-Marc Thystère-Tchicaya, garantido que o sucesso deste projecto demonstra que é possível dois países desenvolverem projectos económicos com benefícios mútuos.

O bloco em causa situa-se em águas profundas (até 1000 metros), em alto mar, e cobre uma área de 700 quilómetros quadrados, entre os dois países.

Este campo de produção tem um custo de exploração avaliado em dois mil milhões de dólares e as estimativas apontam para a existência de reservas de 70 milhões de barris de petróleo.

O consórcio de exploração é operado pela norte-americana Chevron (15,75%) e integra também a Total E&P Congo (TEPC) (26,75%), Cabinda Gulf Oil Company Limited (Cabgoc) (15,5%), Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) (10%), TotalFinaElf (TFE) (10%), ENI (10%), Société Nationale des Pétroles du Congo (SNPC) (7,5%) e Galp Energia (4,5%). (Macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH