Moçambique e África do Sul ligados por novo gasoduto

1 December 2015

O grupo petroquímico sul-africano Sasol e os governos da África do Sul e de Moçambique vão investir 120 milhões de dólares na construção de um novo gasoduto, a entrar em funcionamento em 2017, anunciou a empresa Rompco.

Esta empresa – Republic of Mozambique Pipeline Investment Company (Rompco) – é uma parceria entre o grupo Sasol, a Companhia Moçambicana de Gasoduto e a sul-africana Gas Development Company (SOC) Limited (iGas).

A adição deste novo gasoduto, com uma extensão de 127 quilómetros, vai permitir que a África do Sul passe a receber 212 milhões de gigajoules, contra os actuais 188 milhões de gigajoules, com o envio de gás natural que o grupo sul-africano extrai nos campos de Pande e Temane, na província de Inhambane.

A construção do primeiro gasoduto, denominado “Loop Line 1”, custou 200 milhões de dólares, tendo Louis Bosch, director-geral da Rompco, afirmado no comunicado que o novo gasoduto ou “Loop Line 2” representa o empenho da empresa em investir no desenvolvimento das infra-estruturas de Moçambique, bem como na utilização de fornecedores locais.

O novo gasoduto vai correr em paralelo durante uma parte do percurso do primeiro que, com uma extensão de 865 quilómetros, liga o campo de gás de Temane à central da Sasol em Secunda, na África do Sul. (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH