Moçambique limita utilização de cartões de crédito e de débito no estrangeiro

1 December 2015

O Banco de Moçambique vai limitar a utilização dos cartões de débito e de crédito no estrangeiro para evitar fuga de divisas, anunciou segunda-feira em Maputo o governador do banco central.

“Vamos estabelecer limites de utilização de cartões de crédito e débito no exterior”, declarou o governador Ernesto Gove, acrescentando que os bancos seriam instruídos ainda segunda-feira para remodelarem as respectivas aplicações informáticas.

O governador disse que as transacções através de cartões de crédito e de débito no estrangeiro aumentaram de 300 milhões de dólares em 2012 para 800 milhões de dólares em 2014 e acrescentou que cabe aos bancos comerciais explicar as novas regras na utilização de cartões aos respectivos clientes.

Ernesto Gove referiu-se à “situação excepcional” que a economia moçambicana está atravessar, “o que implica uma alteração dos hábitos de consumo e do modelo de importações.”

O dólar, que no início do ano era negociado a pouco mais de 35 meticais, estava segunda-feira a ser transaccionado a 55 meticais, segundo a cotação oficial, uma quebra de 57%, o que tem contribuído para a escassez de divisas no mercado, embora o Banco de Moçambique assegure ter capacidade para cobrir mais de três meses de importações.

Na semana de 23 a 27 de Novembro a moeda moçambicana perdeu 21% do seu valor face ao dólar, estando o país a ser atingido pela queda substancial dos preços de algumas matérias-primas que exporta, casos do alumínio e do carvão.

“Os fundamentos macroeconómicos não estão abalados”, garantiu Gove, destacando que, além das decisões já tomadas em meados de Novembro de revisão das taxas de juro de referência, o banco central vai prosseguir medidas de carácter fiscal, reforçar outras ao nível monetário e manter a supervisão, de modo a garantir que a inflação permaneça baixa e a economia estável. (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH