Novo Banco mantém operações em Moçambique

7 December 2015

O português Novo Banco irá manter as operações internacionais em Espanha e em Moçambique e poderá desfazer-se das de Cabo Verde, França, Macau e do escritório em Londres, escreveu o jornal português Diário de Notícias.

Em Moçambique, o Novo Banco detém 49% do capital do Moza (antigo Moza Banco) e, de acordo com fontes do mercado citadas pelo jornal, a decisão de não vender a operação prende-se com a impossibilidade de alienação por um valor considerado justo.

Estas medidas fazem parte do projecto de reestruturação do Novo Banco, instituição que ficou com os activos de qualidade do falido Banco Espírito Santo, que foi apresentado no passado fim-de-semana ao Fundo de Resolução.

Depois de validado, o projecto será enviado à Direcção-Geral da Concorrência da Comissão Europeia que traçará um plano de reestruturação a discutir com o Ministério das Finanças.

Ao abrigo do plano de reestruturação, que pretende demonstrar a viabilidade da instituição perante a Comissão Europeia, o Novo Banco terá de fechar balcões e reduzir postos de trabalho, atendendo a que a actual estrutura de custos é semelhante à do antigo BES, “representando um fardo insuportável para a instituição.

A reestruturação inclui igualmente a necessidade de recapitalizar o banco em 1,4 mil milhões de euros, uma exigência do Banco Central europeu e que será levada a cabo, em parte, pela venda de activos não estratégicos, como a área dos seguros e a de activos bancários no estrangeiro.

O Novo Banco apresentou um prejuízo de 551,9 milhões de euros no período de Janeiro a Setembro e de 252 milhões de euros no primeiro semestre. (Macauhub/CV/MO/MZ/PT)

MACAUHUB FRENCH