Cabo Delgado, em Moçambique, contém mil milhões de toneladas de grafite

9 December 2015

A província de Cabo Delgado, norte de Moçambique, contém cerca de mil milhões de toneladas de grafite, de acordo com informações divulgadas segunda-feira em Pemba, na 1ª Conferência Internacional sobre Cadeias de Valor das Indústrias do Gás, Grafite e Agrária.

No painel relativo à importância de infra-estruturas para o desenvolvimento da província de Cabo Delgado, muito em particular no capítulo relativo às potencialidades daquela província em recursos minerais, foram os participantes informados da ocorrência de gás, rubis, mármore, água mineral e de metais básicos por explorar, casos do chumbo, zinco, cobre e ouro.

Falando especificamente sobre a grafite, cuja proposta de industrialização foi tema de debate, os oradores chamaram a atenção para a necessidade de Moçambique melhorar a qualidade de energia eléctrica que fornece aos consumidores e começar a investir “a sério” na formação de quadros, de acordo com o matutino Notícias, de Maputo.

O minério de grafite é extraído em minas a céu aberto ou subterrâneas, sendo depois submetido a sucessivas moagens e a um processo de separação das impurezas presentes na grafite conhecido por flutuação (concentração mecânica) e ao processo de remoção das impurezas remanescentes na grafite previamente concentrada mecanicamente (concentração química) com vista a atingirem-se teores de 99,8% de grafite.

Em Cabo Delgado, a grafite ocorre nos distritos de Balama e Ancuabe, havendo um conjunto de empresas, algumas das quais australianas, caso da Syrah Resources, a explorarem já os depósitos descobertos ou ainda na fase de prospecção e determinação da viabilidade económica. (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH