Angola compra material circulante ferroviário no Brasil

15 December 2015

O governo de Angola aprovou a compra ao grupo brasileiro Andrade Gutierrez de unidades múltiplas a gasóleo (DMU, na sigla em inglês) para melhorar o serviço ferroviário e a mobilidade suburbana de Luanda, de acordo com um despacho presidencial.

As DMU são composições ferroviárias que não necessitam de uma locomotiva separada, estando os motores a gasóleo incorporados em uma ou mais do que uma carruagens.

O despacho que autoriza o contrato de aquisição, a celebrar pelo Ministério dos Transportes com a Andrade Gutierrez, não especifica o modelo de DMU que será adquirido, apenas que serão utilizadas no troço suburbano dos Caminhos-de-Ferro de Luanda (CFL), entre as estações do Bungo e de Baía.

A compra destas composições, com entrega prevista para 2016, vai custar a Angola 123,3 milhões de dólares, de acordo com o despacho citado pela agência noticiosa Lusa.

A renovação do material circulante é apontada pela administração como prioritária, sendo actualmente constituído por cinco locomotivas operacionais e 189 unidades de fabrico chinês, nomeadamente 87 vagões e 45 carruagens, entre outros.

Além da área suburbana, os Caminhos-de-Ferro de Luanda ligam o centro de Luanda a Malange, província no interior norte de Angola, num percurso de 428 quilómetros construído há mais de cem anos e reconstruído em 2011 com financiamento da China e por empresas chinesas. (Macauhub/AO/CN)

MACAUHUB FRENCH