Aumento dos preços em Moçambique supera previsão inicial

18 December 2015

O aumento dos preços em Moçambique, medido pela taxa de inflação, deverá encerrar o ano no intervalo entre 7% e 7,5%, superando em dois pontos percentuais o valor previsto, afirmou quarta-feira em Maputo o governador do Banco de Moçambique.

Ernesto Gove afirmou ainda que “a inflação, medida pela variação do Índice de Preço de Consumi­dores (IPC) da cidade de Mapu­to, passou de 1,28% em Setem­bro para 5,04% no fecho do mês de Novembro de 2015”, situação que se regista em todo país, onde o IPC agregado atingiu 6,27% até Novembro.

O governador mostrou-se, no entanto, optimista quanto ao futuro, tendo sublinhado que as medidas de estabilização dos indicadores macroeconómicos tomadas nos últimos tempos pelo banco central permitem antever um abrandamento, no médio prazo, do aumento dos preços.

“Queremos que a inflação não torne o país pouco competitivo como destino de investimento e também não desgaste as poupanças das pessoas, sobretudo o poder de aquisição das pessoas mais pobres”, sublinhou Gove, citado pela imprensa moçambicana.

O Banco de Moçambique, face à desvalorização da moeda nacional face ao dólar e à quebra dos preços dos principais produtos de exportação, decidiu introduzir algumas medidas de correcção dos desequilíbrios, que passaram pelo aumento das taxas de juro de referência bem como pela introdução de limites às despesas no estrangeiro com recurso a cartões de débito ou de crédito. (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH