Estados brasileiros promovem construção da Ferrovia Transoceânica

11 February 2016

Os governadores de três Estados do Brasil – Mato Grosso, Acre e Rondónia – assinaram esta semana um protocolo de intenções para a construção de uma linha de caminho-de-ferro que ligará os oceanos Atlântico e Pacífico, noticiou a imprensa brasileira.

A cerimónia de assinatura do protocolo de intenções, segunda-feira em Ji-Paraná, Rondónia, contou com a presença do embaixador da China no Brasil, Li Jinzhang e de um grupo de 23 empresários chineses que estão a efectuar uma expedição pelas cidades que virão a ser beneficiadas com a construção da denominada no Brasil “Ferrovia Transoceânica.”

Este protocolo é resultado de uma parceria estratégica e dos 35 acordos assinados pela Presidente Dilma Rousseff e pelo primeiro-ministro da China, Li Keqiang, em 19 de Maio de 2015, um dos quais contempla o estudo de viabilidade da construção da Ferrovia Transoceânica, que, pelo projecto, sai do Rio de Janeiro, passa por Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Rondónia, Acre e termina no Peru.

Especialistas citados pela imprensa brasileira afirmam que os investimentos na linha de caminho-de-ferro podem ascender a 10 mil milhões de dólares, sendo os mais beneficiados os produtores rurais do Mato Grosso, que teriam um percurso mais curto para escoar as respectivas colheitas, principalmente de soja.

A China importou em 2014 daquele Estado brasileiro produtos no valor de 4,9 mil milhões de dólares, dos quais 4,6 mil milhões de dólares na fileira soja – grão, farelo e óleo.

A “Ferrovia Transoceânica” terá uma extensão de 5300 quilómetros, 4400 quilómetros dos quais em território brasileiro, levará seis anos a ser construída e conta já entre os interessados com a China International Water & Electric Corporation (CWE), uma subsidiária da China Three Gorges Corporation. (Macauhub/BR/CN)

MACAUHUB FRENCH