Standard & Poor’s revê em baixa notação de risco soberano de Angola

15 February 2016

A agência Standard & Poor’s reviu em baixa a notação de risco soberano de Angola de “B+” para “B” devido à quebra do preço do barril de petróleo, principal produto de exportação, que conduz ao aumento do endividamento, de acordo com um comunicado divulgado sexta-feira.

Mantendo uma perspectiva da evolução “estável”, a Standard & Poor’s (S&P) adiantou que além de os preços do barril estarem mais baixos do que o esperado nas previsões 2016/2019, os empréstimos internos e externos que o governo de Angola tem contraído, a que se adiciona a desvalorização da moeda, fazem com que a dívida pública esteja a seguir uma trajectória ascendente.

“Prevemos que a dívida pública de Angola atinja este ano 50% do Produto Interno Bruto”, afirmou a agência.

A S&P justifica a perspectiva de evolução “estável” com a previsão de uma descida gradual do défice angolano, reduzindo assim os riscos ao financiamento externo, tendo também em conta a resposta do governo à crise, para evitar a deterioração da situação fiscal e da dívida.

“Prevemos necessidades de financiamento externo bruto de Angola de aproximadamente 31 mil milhões de dólares este ano e no próximo, das quais cerca de metade de curto prazo”, apontou a Standard & Poor’s.

No mesmo comunicado, a agência prevê para Angola um crescimento económico de 3,3% em 2016 e um défice orçamental a rondar 7% até 2019, a financiar com recurso, nomeadamente, a empréstimos externos. (Macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH