Angola procura estabilizar preço dos diamantes

18 February 2016

A Empresa Nacional de Diamantes de Angola (Endiama) vai negociar com os maiores produtores mundiais uma redução da quantidade de diamantes que comercializam a fim de que haja espaço para o previsível aumento da produção angolana, afirmou em Luanda o presidente da estatal.

Carlos Sumbula, depois de anunciar que a produção angolana deverá atingir 8 milhões de quilates dentro de cinco anos, com a exploração do quimberlito Luachi, disse que esse aumento irá obrigar a uma negociação com os demais produtores para contornar a oferta maior do produto e, consequentemente, uma diminuição de preços.

“Para que isso não aconteça, começámos a contactar os diversos produtores mundiais, no sentido de estabelecermos um equilíbrio, em que nós iremos participar apenas com oito milhões de quilates ano, que corresponde mais ou menos a um valor bruto de 1,2 mil milhões de dólares”, disse o presidente da diamantífera estatal angolana, citado pela agência noticiosa Lusa.

Sumbula disse ainda que a negociação será desenvolvida no sentido de os outros grandes produtores cortarem um pouco na quantidade de diamantes que comercializam, “a fim de que nós possamos vender a produção prevista de 8 milhões de quilates/ano.”

Carlos Sumbula reforçou que a mina do Luachi, na província angolana da Lunda Sul, poderá ser no mínimo o terceiro maior quimberlito em termos mundiais, superior ao de Catoca que é o quarto maior, tendo apelado aos investidores para se juntarem a este projecto de exploração. (Macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH