Seca em Moçambique afecta 1,5 milhões de pessoas

6 April 2016

Cerca de 1,5 milhões de moçambicanos estão em situação de insegurança alimentar devido fundamentalmente à seca que atinge as regiões sul e centro do país, disse o director-geral do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC) de Moçambique.

João Machatine disse ainda à agência noticiosa AIM que daquele total 1,3 milhões de pessoas estão já a necessitar de ajuda, nomeadamente com a entrega de produtos alimentares.

O director-geral do INGC precisou no final de uma reunião com parceiros da cooperação estimar em 13 milhões de dólares o montante necessário em termos mensais para prestar assistência apenas às vítimas da seca.

“Precisamos de elaborar um plano de resposta conjunto entre o governo e os parceiros e, neste encontro, estes manifestaram-se disponíveis para prestar apoio, mobilizando os recursos necessários”, disse Machatine.

João Machatine mencionou os apoios já garantidos de países e de organizações multilaterais, casos do Japão e de Itália, de algumas agências da Organização das Nações Unidas e do Banco Mundial.

A província de Tete é a que detém maior número de pessoas afectadas, seguida de Sofala, Gaza, Manica e Maputo, especificou o director-geral do INGC. (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH