Ministro da Economia de Angola admite que empresários enfrentam dificuldades

20 April 2016

O ministro da Economia de Angola, Abrahão Gourgel, disse em Luanda que a falta de um subsídio de gasóleo agrícola, a dupla tributação das matérias-primas, a protecção aduaneira e a falta de estímulos públicos para o investimento são alguns das dificuldades que a actividade empresarial enfrenta.

Segundo a agência Angop, o ministro, que falava num encontro com empresários, reconheceu que as indústrias alimentar (café, milho, bebidas) e transformadora (como os da madeira e do cimento) são alguns dos sectores mais afectados.

Abrahão Gourgel admitiu ainda que alguns sectores exportadores, como o turismo, a produção de cereais, de açúcar, de carnes, a pesca, bem como a produção de café e mel são os mais afectados e reconheceu que a produção nacional é condicionada pela falta de estímulos públicos às cadeias de fornecimento das indústrias locais.

O ministro enumerou igualmente algumas das dificuldades que o empresariado enfrenta nomeadamente a taxa de emolumentos de um por cento que incide sobre as exportações e a falta de fiscalização sobre as mercadorias destinadas à exportação.

Abrahão Gourgel disse que o governo está a fazer tudo para reduzir a burocracia e incentivou os empresários a apoiarem a diversificação da economia de Angola aproveitando as facilidades concedidas para os vários sectores da economia angolana.(Macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH