Têxtil Satec, em Angola, retoma produção em Julho

4 May 2016

A fábrica têxtil Satec da cidade do Dondo, Cuanza Norte, inicia a laboração em Julho próximo, depois de ter sido totalmente reconstruída e equipa, processo que custou 400 milhões de dólares, disse o presidente do grupo empresarial angolano Mainhia Yeto, Matos Cardoso.

A exportação dos tecidos para a República do Congo, República Democrática do Congo e Moçambique está na lista de objectivos da empresa, que irá continuar a explorar a possibilidade da entrada nos mercados da Europa e dos Estados Unidos, através de acordos de comércio preferencial, no último caso ao abrigo do sistema “African Growth and Opportunity Act (AGOA).”

Enquadrada no programa governamental de relançamento do sector industrial do país, a reconstrução da fábrica é da responsabilidade do Ministério da Indústria e é parte de um financiamento do governo japonês, avaliado em cerca de 1,15 mil milhões dólares, também destinado à recuperação da Textang II, em Luanda, e da África Têxtil, em Benguela.

A fábrica Satec, cujo funcionamento foi interrompido na década de 1990, foi totalmente recuperada, ampliada e modernizada com equipamentos modernos e vai permitir a criação de 2000 postos de trabalho directos.

Com naves de fiação de algodão, tecelagem e acabamentos, a fábrica vai contribuir, em paralelo com a África Têxtil (em Benguela) e a Textang II (em Luanda), estas igualmente recuperadas e modernizadas, para a redução das importações de produtos têxteis.

As unidades fabris de Luanda e Dondo deverão vir a produzir tecidos para a confecção de vestuário, sendo que a de Benguela vai produzir numa fase inicial 120 mil cobertores, 1,6 milhões de lençóis e 12 milhões de toalhas. (Macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH