Acesso a atracções turísticas de Angola passa a ser taxado

18 May 2016

O governo de Angola vai impor a cobrança de taxas no acesso às principais atracções turísticas do país, disse terça-feira em Luanda o ministro da Hotelaria e Turismo, Paulino Baptista, em declarações à rádio pública angolana.

O ministro, que não adiantou datas para a entrada em vigor destas taxas, disse ainda que a medida foi já aprovada pela comissão económica do Conselho de Ministros.

Paulino Baptista acrescentou que no âmbito da medida anunciada vão ser estudados os municípios do país com maior número de atracções turísticas para constituir serviços de turísticos de apoio.

As sete maravilhas naturais de Angola foram anunciadas em Maio de 2014 e incluem a fenda da Tundavala e as quedas de Kalandula, duas das mais conhecidas internacionalmente, nas províncias da Huíla e Malanje, respectivamente.

As quedas de Kalandula são a designação pós-independência de Angola dada às quedas do Duque de Bragança, como eram designadas no período colonial e que são a seguir às de Victoria, na fronteira entre a Zâmbia e o Zimbabué, as segundas maiores de África.

As restantes cinco maravilhas são a floresta do Maiombe, em Cabinda, as grutas do Nzenzo, no Uíge, a lagoa Carumbo, na Lunda Norte, o morro do Môco, no Huambo e as quedas do Rio Chiumbe, na Lunda Sul.(Macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH