China anuncia apoio à industrialização de Moçambique

19 May 2016

A China vai apoiar a industrialização de Moçambique, nos termos de um comunicado emitido quarta-feira em Pequim, no final das negociações entre delegações chefiadas pelos presidentes dos dois países, noticiou a imprensa moçambicana.

As delegações lideradas por Xi Jinping e Filipe Nyusi acordaram ainda no estabelecimento de uma “parceria estratégica global”, de acordo com o anúncio efectuado no final do encontro pelo vice-ministro chinês dos Negócios Estrangeiros, Zhang Ming.

Essa parceria, prosseguiu o vice-ministro, “deverá incluir a cooperação em todas as áreas, nomeadamente política, de segurança, económica, comercial e cultural.”

Ao abrigo desta parceria, as partes decidiram “intensificar a coordenação dos planos de cooperação bilateral e políticas mutuamente benéficas, e promover activamente vínculos industriais e de cooperação em matérias de capacidade produtiva.”

Isso também envolve um compromisso para uma “cooperação alargada com benefício mútuo na produção de energia, mineração e indústria transformadora”, de forma a “acelerar a industrialização e modernização de Moçambique.”

A agência noticiosa Xinhua informou ter o Presidente Xi Jinping afirmado que o governo chinês vai apoiar as empresas chinesas a investirem na exploração de gás natural em Moçambique e em outros sectores de actividade económica.

Para o efeito, as empresas chinesas e instituições financeiras serão incentivadas a constituírem parcerias público-privadas (PPP) ou veículos do tipo Construção, Exploração e Transferência (BOT, na sigla em inglês) a fim de “participarem activamente na construção de infra-estruturas em Moçambique, tais como ferrovias, estradas, aeroportos e centrais eléctricas.”

Os dois países também acordaram no reforço da cooperação financeira, encorajando “a criação de subsidiárias das instituições financeiras em cada país” e a utilização da moeda nacional de cada um dos países nas transacções entre ambos.

Zhang Ming, citado pelo matutino Notícias, de Maputo, salientou que a China gostaria de reforçar a cooperação na área da economia marítima, ao abrigo da iniciativa Rota de Seda do Século XXI, “atendendo a que Moçambique é um país com uma grande linha de costa.”

O vice-ministro chinês dos Negócios Estrangeiros referiu-se à disponibilidade da China para ajudar Moçambique a ultrapassar as dificuldades económicas que actualmente enfrenta, embora não tenha mencionado quais os mecanismos que serão accionados para concretizar esse objectivo.

A delegação chefiada pelo Presidente de Moçambique mantém hoje encontros de cortesia com dirigentes de algumas empresas públicas chinesas e participa num encontro com a comunidade moçambicana em Pequim. (Macauhub/CN/MZ)

MACAUHUB FRENCH