Angola extingue mais empresas públicas insolventes

25 May 2016

O governo de Angola vai extinguir mais 16 empresas do sector industrial, que estão paralisadas e em situação de insolvência, de acordo com um despacho conjunto dos ministros da Economia, Abraão Gourgel, e da Indústria, Bernarda da Silva.

A medida é justificada pela facto de essas empresas serem “deficitárias, serem inoperantes ou estarem paralisadas” não dispondo igualmente de capacidade financeira para solverem os seus passivos para com os respectivos trabalhadores, fornecedores e credores.

A lista de empresas a extinguir no prazo de dois anos integra a Osuka, Epygel, Limoca, Moiben, Osema, Vulcap, Epan, Ulisses, Recor, Macanda, Cofriang, Açunor, Unicerâmica, Codume, ECL e a Emabol, todas consideradas como “não-estratégicas.”

Em Novembro de 2015, nove empresas públicas dos sectores agrícola, mineiro, pesqueiro e industrial foram extintas ao abrigo de um conjunto de decretos presidenciais publicados no jornal oficial.

As empresas extintas foram a Empresa Regional de Abastecimento ao Sector Cafeícola (Procafé), Ermanal (Luanda), Empromar Kuroka, Empromar Kapiandalo, Fropesca, Farinol, Empresa Transformadora de Madeira (ETM), Alfaias Agrícolas (Alfag) e Empresa Mineira de Fosfatos do Zaire e da Mina Quartzo (Fosfang), todas anteriormente classificadas como “unidade económica estatal.” (Macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH