Governo de Moçambique aguarda chegada da missão do FMI

15 June 2016

O governo aguarda a chegada da missão do Fundo Monetário Internacional (FMI), esperada em Maputo nos próximos dias, para analisar as consequências macroeconómicas das chamadas dívidas escondidas, disse terça-feira em Maputo o primeiro-ministro de Moçambique.

“Dentro de dias, o Fundo Monetário Internacional (FMI) vai chegar e com eles vamos analisar as consequências macroeconómicas da dívida”, disse Agostinho do Rosário, falando à margem da abertura da Assembleia Geral da Organização Cooperativista da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que decorreu terça-feira em Maputo.

Afirmando que o importante é “olhar para a frente”, o primeiro-ministro recordou que Moçambique é rico em recursos naturais sendo, por isso, capaz de superar as adversidades económicas que enfrenta.

Membros do governo estiveram presentes na semana passado no parlamento do país para procurarem explicar os contornos de dívidas escondidas de mais de 1400 milhões de dólares contraídas por empresas públicas e avalizadas pelo anterior executivo, entre 2013 e 2014.

Falando na ocasião, o primeiro-ministro moçambicano reconheceu a existência de dívidas fora das contas públicas de 1,4 mil milhões de dólares, justificando com razões de segurança e infra-estruturas estratégicas do país, o que levou o FMI a suspender a segunda parcela de um empréstimo a Moçambique e a deslocação de uma missão a Maputo.

O grupo de 14 doadores do Orçamento do Estado também suspendeu os seus pagamentos, uma medida acompanhada pelos Estados Unidos, que anunciaram que vão rever o seu apoio e exigiram, à semelhança do Reino Unido, uma auditoria internacional. (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH