Prospecção de diamantes em Angola alargada à província de Malanje

17 June 2016

A prospecção de diamantes em Angola vai ser alargada a Malanje, em regime semi-industrial, com três cooperativas de mineiros artesanais autorizadas a explorarem mais de 410 quilómetros quadrados, de acordo com autorizações do Ministério da Geologia e Minas.

A primeira autorização foi concedida à cooperativa Milando Kunda, envolvendo a exploração semi-industrial de diamantes numa área de 30 quilómetros quadrados, no município de Kunda Dia-Base, e a segunda abrange, nos mesmos moldes, 224 quilómetros quadrados atribuídos à cooperativa Cambo Sungingi, no município de Kaombo.

A terceira concessão fica com a cooperativa Kabuto, no município de Xandel, numa área de 160 quilómetros quadrados.

As autorizações referem ainda, para justificar as concessões, que “dados técnicos” sugerem “que os objectivos de integração dos mineiros artesanais podem ser efectuados de modo eficaz mediante a produção semi-industrial combinada com a produção artesanal.”

Estas concessões são válidas por um ano, podendo ser prorrogadas por quatro, ficando as cooperativas obrigadas a prestar informações técnicas e económicas à concessionária diamantífera nacional, Empresa Nacional de Diamantes de Angola (Endiama), sobre a actividade desenvolvida, de acordo com as autorizações assinadas pelo ministro Francisco Queiroz. (Macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH