FMI recomenda auditoria internacional a três empresas públicas de Moçambique

27 June 2016

O Fundo Monetário Internacional (FMI) recomendou ao governo de Moçambique a realização de uma auditoria internacional independente à Empresa Moçambicana do Atum (Ematum), Proindicus e Mozambique Asset Management (MAM), de acordo com um comunicado divulgado em Washington.

A Ematum (850 milhões de dólares), Proindicus (622 milhões de dólares) e MAM (535 milhões de dólares) são as três empresas públicas que no período compreendido entre 2013 e 2014 contraíram empréstimos que excederam dois mil milhões de dólares e que contaram com o aval do Estado.

O único empréstimo que tinha sido tornado público foi o da Ematum, tendo o então Presidente de Moçambique, Armando Guebuza e o Presidente de França, François Hollande, chegado a encontrar-se em Cherburgo por ocasião da assinatura de um contracto com um construtor naval daquela cidade para o fornecimento de barcos de pesca e de vigilância marítima.

Uma missão do FMI esteve em Maputo de 16 a 24 de Junho corrente para avaliar a situação económica de Moçambique decorrente da concessão dos avais do Estado, na sequência da incapacidade das três empresas em honrarem os seus compromissos, bem como sugerir medidas correctivas necessárias para evitar uma maior deterioração económica do país. (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH