Angola vai deixar de importar placas de contraplacado

28 June 2016

Angola vai deixar a prazo de importar placas de contraplacado para a construção civil devido a investimentos que estão a ser efectuados numa fábrica de produtos de madeira localizada na província do Huambo, escreveu o Jornal de Angola.

A fábrica Almeidas Guotai, que funciona desde 2013 nos arredores da vila de Cachiungo, 65 quilómetros a este da cidade do Huambo, é uma parceria entre investidores angolanos e chineses e satisfaz a procura do produto naquela província, nomeadamente no que respeita às placas de contraplacado para a construção civil.

Bernardo Tchipundje, responsável dos recursos humanos da empresa, disse ao jornal que a etapa seguinte é fazer chegar o contraplacado às restantes províncias de Angola, começando pelas mais próximas, designadamente Huíla, Bié, Benguela, Cuanza Sul e Cuando Cubango.

Com uma linha de produção para fabricar uma média diária de 3000 placas de contraplacado, a Almeidas Guotai produz todos os dias 1500 unidades, número considerado suficiente para satisfazer a actual procura do mercado.

As províncias do Huambo e Luanda são os principais mercados para os produtos da fábrica, mas as placas de contraplacado produzidas a partir de árvores de eucalipto do município do Cachiungo também já estão a ser vendidas nas províncias do Bié, Benguela e Cuando Cubango, mas em quantidades menores. (Macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH