CE exige que Portugal adopte medidas adicionais para conter défice orçamental

4 July 2016

A Comissão Europeia deverá dar três semanas a Portugal para a adopção de medidas para a correcção do défice orçamental a fim de evitar que o país seja alvo de sanções por incumprimento do acordado, escreveu o jornal português Observador.

O prazo de três semanas começará a contar a partir da altura em que a decisão do colégio de comissários for tomada, ou seja, a partir de terça-feira, desde que o Ecofin (conjunto de 27 ministros da UE) conclua que Portugal (bem como a Espanha) não tomou medidas eficazes.

O acordo permitiria satisfazer os países mais conservadores neste processo, casos da Alemanha, Holanda e Áustria, que pediram desde a terça-feira de Carnaval, pouco depois de aprovado o orçamento português em Bruxelas, que Portugal avançasse com um plano B com mais medidas para aplicar ainda este ano.

Entretanto, a economia de Portugal deverá crescer este ano 1%, sendo necessárias medidas adicionais para se alcançar o défice orçamental previsto pelo governo de 2,2%, informou o Fundo Monetário Internacional em comunicado divulgado quinta-feira em Washington.

O comunicado acrescenta que na ausência de medidas adicionais de contenção da despesa pública, o défice orçamental em 2016 deverá rondar 3%, o valor máximo inscrito no Tratado de Maastricht. (Macauhub/PT)

MACAUHUB FRENCH