EIU prevê que economia de Moçambique cresça 3,8% em 2016

11 July 2016

A economia de Moçambique deverá crescer este ano apenas 3,8%, a taxa mais baixa registado pelo país no decurso dos últimos 15 anos, escreveu a Economist Intelligence Unit (EIU), no mais recente relatório sobre o país.

Hoje, segunda-feira, o governo de Moçambique entrega no parlamento uma proposta de lei de Orçamento de Estado rectificativo, cujo cenário macroeconómico contempla uma taxa de crescimento de 4,5%, contra uma previsão inicial de 7,0%.

A EIU afirma que este arrefecimento da economia moçambicana reflecte a diminuição da despesa pública, a redução do investimento directo estrangeiro devido ao ambiente de negócios que se degradou e a perturbações climatéricas que tiveram grande impacto sobre a produção agrícola.

Os analistas da EIU escrevem ainda que o aumento da extracção de carvão será um dos factores para o crescimento da economia, a que se associa a subida prevista do preço do minério nos mercados internacionais bem como por uma acréscimo da procura por parte da Índia.

Os sectores tradicionais deverão ter um contributo abaixo do registado no passado recente, caso da agricultura, que apenas deverá retomar a produção normal em 2017, depois de ultrapassados os efeitos do El Niño.

No entanto, o crescimento associado deverá manter-se reduzido devido à estrutura de produção assente em pequenas unidades familiares e ao baixo preço dos produções de rendimento, casos do açúcar, chá e algodão.

A indústria do gás natural tem potencial para ser um motor do crescimento a longo prazo, mas a extracção dos depósitos descobertos no norte de Moçambique apenas começarão a ser explorados nos primeiros anos da década de 20, na melhor das perspectivas.

As previsões da EIU indicam que a economia de Moçambique deverá crescer entre 4,2% e 5,6% nos anos 2017 a 2020, com o consumo privado e público a registar uma contracção elevada este ano, caso da despesa pública que deverá cair 17,6%, antes de retomarem o crescimento.

As exportações de bens e serviços, com uma previsão de crescimento de 3,7% este ano, deverá atingir valores mais elevados nos anos seguintes, atingindo uma taxa de 8,1% em 2017 e de 7,3% em 2018, antes de baixar para um crescimento de 4,6% em 2019 e 2020. (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH