Portos e Caminhos-de-Ferro de Moçambique vende lote de acções da Corredor Logístico Integrado de Nacala

2 August 2016

A estatal Portos e Caminhos-de-Ferro de Moçambique (CFM) obteve um encaixe de 106 milhões de dólares com a venda de um lote das acções que detinha na Corredor Logístico Integrado de Nacala (CLN), anunciou terça-feira em Maputo o ministro dos Transportes e Comunicações.

O ministro Carlos Mesquita disse ainda que a estatal mantém-se no capital da CLN e que o encaixe conseguido com a venda do lote de acções vai permitir melhorar a tesouraria da empresa e viabilizar alguns projectos que estão em carteira.

O jornal escreveu que a reestruturação accionista do Corredor Logístico de Norte visa viabilizar a logística do carvão de Moatize nos vários segmentos da cadeia, nomeadamente os terminais de carvão e de carga geral de Nacala-a-Velha, bem como o serviço de transporte ferroviário de passageiros.

Carlos Mesquita salientou que a queda dos preços das matérias-primas alterou substancialmente os resultados dos vários modelos financeiros que tinham sido estudados, numa altura em que o carvão custava entre 140 e 150 dólares a tonelada.

“Por exemplo, a Vale Moçambique continua a operar com prejuízos pelo que o governo aceitou a venda de parte dos seus activos associados ao carvão em Moçambique ao grupo japonês Mitsui & Co, permitindo assim a entrada de um parceiro estratégico”, disse o ministro. (Macauhub/BR/MZ)

MACAUHUB FRENCH