Corredor de Desenvolvimento Norte, em Moçambique, vai receber 100 vagões

15 August 2016

A sociedade Corredor de Desenvolvimento do Norte (CDN) vai ter a sua capacidade de transporte de mercadorias, sobretudo cereais, reforçada com a entrada ao serviço de uma centena de vagões, informou o porta-voz da CDN.

Os vagões, com uma capacidade de 54 toneladas cada, foram comprados na vizinha África do Sul, num investimento próximo de 11 milhões de dólares, informou ainda Sérgio Paunde.

O porta-voz, citado pelo matutino Notícias, de Maputo, disse que dos cem vagões 22 já se encontram na estação ferroviária de Nampula, esperando-se que igual número seja entregue em breve, devendo o último lote chegar a Moçambique o mais tardar em Dezembro deste ano.

Sérgio Paunde disse o CDN tem estado a receber solicitações de vários clientes que pretendem transportar grandes quantidades de cereais para as regiões que fazem parte do corredor ferroviário de Nacala e que estão a enfrentar carências alimentares devido às fracas colheitas registadas na campanha agrícola passada.

Apesar de ter registado resultados positivos na colheita 2015/2016, a província moçambicana de Nampula, por exemplo, necessita de cerca de 900 mil toneladas de milho para satisfazer a procura.

A CDN – Corredor de Desenvolvimento do Norte é uma sociedade que tem por objecto social a gestão, recuperação e exploração comercial de forma integrada das infra-estruturas do porto de Nacala e da rede ferroviária do norte de Moçambique, estando integrada no Projecto Corredor Nacala, que engloba a região norte de Moçambique, o Malaui e a Zâmbia.

A estrutura accionista da CDN é constituída pela Sociedade de Desenvolvimento do Corredor de Nacala, com 51% e pela estatal Portos e Caminhos-de-Ferro de Moçambique, com os restantes 49%. (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH