Moçambique vai crescer 3,6 por cento em 2016 e 5,1 por cento em 2017

15 September 2016

O crescimento económico de Moçambique em 2016 deverá ser da ordem dos 3,6 por cento de acordo a última análise da Economist Intelligence Unit (EIU) metade do registado na última década, devido à queda da despesa pública, fracas exportações e perturbações na produção agrícola.

A partir do próximo ano, a EIU prevê uma aceleração para um crescimento médio de 5,1 por cento entre 2017 e 2020, impulsionado pela estabilização macroeconómica e pela recuperação da confiança dos investidores.

A EIU afirma que a recuperação estará directamente ligada ao aumento da produção de carvão e dos seus preços nos mercados internacionais no período entre 2017 e 2018 e à melhoria da produção agrícola a partir de 2017, no entanto, com poucos resultados, devido à falta de produtividade da agricultura e aos baixos preços praticados na exportação dos produtos.

Na análise económica da situação em Moçambique datada de meados de Setembro, a EIU admite ser provável uma queda no investimento, consequência da “alta inflação, volatilidade da moeda e crescentes riscos políticos”.

Moçambique atravessa um período de múltiplas crises, marcadas pelo arrefecimento do crescimento económico, forte desvalorização do metical face ao dólar, descida do preço das matérias-primas e das exportações, subida acentuada da inflação e queda do investimento estrangeiro e da ajuda externa, em resultado dos empréstimos ocultados pelo Estado e que fizeram disparar os valores da dívida pública.

Em consequência da situação interna do país as intenções de investimento em Moçambique caíram 48 por cento no primeiro semestre de 2016 comparativamente ao mesmo período do ano passado.(Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH