Angola pretende duplicar exportação de rochas ornamentais

21 September 2016

O governo de Angola pretende aumentar de 20 mil para 38 mil metros cúbicos a exportação de rochas ornamentais no próximo ano, afirmou terça-feira em Luanda o ministro da Geologia e Minas, Francisco Queiroz.

O ministro, que concluia uma visita à Empresa Nacional de Ferros de Angola (Ferrangol), adiantou que para se poder atingir aquela meta foram seleccionados mais nove projectos a fim de que esse número atinja 23, concretamente nas províncias da Huíla, Namibe, Cuanza Sul, Benguela e do Zaire.

“No próximo ano (2017) prevemos aumentar a produção de rochas ornamentais para 67 mil metros cúbicos e exportar 38 mil metros cúbicos”, referiu, citado pela agência noticiosa Angop.

O ministro apontou como principais destinos do granito processado no país os Estados Unidos da América, Emirados Árabes Unidos e a Europa e acrescentou que os projectos de exploração de rochas ornamentais têm um grande impacto económico, nomeadamente pelo facto de privilegiarem os mercados da exportação.

Francisco Queiroz recordou o complexo de rochas ornamentais, concretamente granito negro, com 45 mil quilómetros quadrados nas províncias de Huíla e Cunene que foi descoberto no decurso dos levantamentos já efectuados no âmbito do Plano Nacional de Geologia.

O referido complexo ultrapassa a até agora considerada a maior área de granito negro no mundo, localizada no Canadá, com cerca de 20 mil quilómetros quadrados. (Macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH