Banco BPI propõe-se ceder controlo accionista do Banco de Fomento Angola

21 September 2016

A administração do Banco BPI propôs a venda de 2% do capital social do Banco de Fomento Angola à empresa angolana Unitel, que assim passaria a ter o controlo da maioria do capital daquele banco de capitais maioritariamente portugueses, nos termos de uma carta enviada terça-feira.

Em contrapartida o BPI receberia 28 milhões de euros e a Unitel votaria a favor da desblindagem dos estatutos do banco, que actualmente limitam os direitos de voto a 20%, independentemente da parcela de capital que um accionista possa deter.

A assembleia-geral em que se vai decidir qual o futuro da Oferta Pública de Aquisição (OPA) lançada pelo espanhol CaixaBank ao banco português decorre hoje na cidade do Porto, de acordo com a imprensa económica, sendo condição para a realização do negócio que cessem os limites aos direitos de voto.

O CaixaBank quer garantir que o seu poder no seio da instituição seja idêntico à participação que detém no capital, a fim de poder avançar com a OPA, em que oferece 1,113 euros por acção.

O capital social do Banco de Fomento Angola está dividido entre dois accionistas – Banco BPI com 50,1% e Unitel com os restantes 49,9% – e o Banco BPI tem como principais accionistas o CaixaBank (44,81%), Santoro Finance – Prestação de Serviços (18,576%), Allianz (8,425%), Violas Ferreira Financial (2,681%) e Banco BIC (2,284%). (Macauhub/AO/PT)

MACAUHUB FRENCH