FMI quer “esforço redobrado” do governo de São Tomé e Príncipe para cumprir metas acordadas

21 September 2016

O governo de São Tomé e Príncipe deverá efectuar um “um esforço redobrado” a nível fiscal para atingir as metas que o Fundo Monetário Internacional pretende ver cumpridas até Dezembro, afirmou em São Tomé o vice-director do Departamento África do FMI.

“Já se constatou que a nível fiscal é necessário um esforço redobrado para se conseguirem atingir as metas que estão estabelecidas para Dezembro e, do ponto de vista das reformas estruturais, é necessário fazê-las avançar um pouco mais rapidamente”, afirmou ainda David Owen.

O FMI iniciou segunda-feira uma missão de 15 dias ao arquipélago para uma segunda avaliação do programa que tem com o país.

“Basicamente estamos a fazer uma avaliação daquilo que foi conseguido até ao mês de Junho, nomeadamente no sector monetário e fiscal, ver que progressos é que foram alcançados”, disse aquele quadro do FMI, que se reuniu no Ministério das Finanças com uma equipa integrada por representantes das direcções do Tesouro, Orçamento, Impostos e Alfandegas.

O Fundo Monetário Internacional constatou a falta de cumprimento pelas autoridades são-tomenses das metas fixadas para os meses de Janeiro a Junho e o governo são-tomense justificou o aumento das despesas com o período eleitoral.

“Temos a plena consciência de que 2016 tem sido um ano um pouco difícil, é um ano eleitoral e em qualquer país do mundo o ano eleitoral é caracterizado por uma pressão sobre as despesas, mas nós temos a situação mais ou menos controlada”, argumentou o ministro das Finanças e Administração Pública, Américo Ramos, de acordo com a agência noticiosa Lusa. (Macauhub/ST)

MACAUHUB FRENCH