Moçambique precisa de garantir estabilidade macroeconómica, FMI

30 September 2016

Moçambique precisa de adoptar medidas de contenção da despesa a fim de garantir a estabilidade macroeconómica, tendo em atenção o aumento da inflação e a desvalorização da moeda, escreveu a missão do Fundo Monetário Internacional que se deslocou a Maputo.

A missão esteve na capital moçambicana de 22 a 29 de Setembro corrente a fim de iniciar conversações sobre os termos de referência de uma auditoria internacional e independente às estatais Empresa Moçambicana de Atum, Proindicus e Mozambique Assett Management, a fim de fortalecer a transparência e a governação para evitar a ocorrência de novos problemas relacionados com dívida.

Em relatório divulgado quinta-feira em Washington, o chefe da missão, Michel Lazare, escreveu ter aproveitado a deslocação a Moçambique para analisar com o governo local a adopção de medidas para restaurar a confiança dos parceiros internacionais.

Lazare escreveu ainda terem as autoridades moçambicanas solicitado que o Fundo Monetário Internacional retome as negociações no sentido de que comece a prestar apoio financeiro o mais depressa possível e acrescentou que a aplicação de políticas macroeconómicas sólidas e o início do processo de auditoria a curto prazo “ajudariam a criar as condições para o possível reinício das negociações com o FMI.”

No mesmo comunicado, a missão do FMI afirma que a economia de Moçambique está actualmente em declínio devendo o crescimento económico não exceder 3,7%, contra 6,6% em 2015, “taxa que fica substancialmente abaixo das registadas nos últimos anos.” (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH