Delegação de Cabo Verde à conferência do Fórum Macau procura parcerias empresariais

7 October 2016

A delegação de Cabo Verde à 5.ª Conferência Ministerial do Fórum de Macau vai apostar numa abordagem que privilegie as parcerias empresariais, fazendo avançar alguns projectos que já dispõem de acordos de princípio com a China, afirmou o ministro da Economia.

“Vamos procurar passar da relação de cooperação que já foi muito importante e está bem consolidada para uma relação de parcerias”, precisou o ministro José Gonçalves, um dos membros da delegação cabo-verdiana à conferência.

O ministro disse tratar-se de uma abordagem não só com a China mas também com outros países, atendendo ao facto de Cabo Verde ter atingido um novo patamar ao ter passado a ser um país de rendimento médio, “sendo por isso expectável que passem a ter lugar mais parcerias ao invés da cooperação clássica.”

Chefiada pelo primeiro-ministro Ulisses Correia e Silva, a delegação à 5.ª conferência ministerial do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa inclui os ministros dos Negócios Estrangeiros, Luís Filipe Tavares, da Administração Interna, Paulo Rocha e da Economia, José Gonçalves, além de de empresários.

Um dos projectos que Cabo Verde pretende impulsionar durante a conferência é o programa “Cidade Segura”, uma parceria a desenvolver com a empresa de comunicações Huawei, e que visa dotar a Praia, São Vicente, Sal e Boavista com sistemas de telecomunicações e videovigilância com vista ao reforço da segurança.

José Gonçalves disse que o memorando de entendimento sobre o programa foi assinado em Setembro, durante uma visita à China, e que o ministro da Administração Interna, Paulo Rocha irá iniciar agora a programação das “actividades nesta área para chegar a um acordo de financiamento.”

O programa “Cidade Segura”, cujo investimento estimado não foi avançado, visa em especial a vertente do turismo, com o ministro da Economia ser muito importante que os turistas que procuram Cabo Verde ali cheguem com a “expectativa de ter um destino seguro.”

Cabo Verde irá ainda procurar dar um impulso a projectos na área das alfândegas, pescas e crédito às pequenas e médias empresas, de acordo com a agência noticiosa Lusa.

A delegação de 12 empresários cabo-verdianos que integram a missão irá centrar a sua actividade no estabelecimento de parcerias com empresas congéneres da China e dos restantes países do mundo de língua portuguesa presentes no fórum. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH