China apoia países da África e Ásia membros do Fórum de Macau com 600 milhões de dólares

A China vai conceder pelo menos 2 mil milhões de yuans (300 milhões de dólares) em empréstimos em condições preferenciais aos países de língua portuguesa de África e da Ásia membros do Fórum de Macau, anunciou hoje em Macau o primeiro-ministro da China.

Li Keqiang disse que estes empréstimos visam fomentar a capacidade produtiva dos países beneficiários e reforçar “ainda mais” a cooperação no que se refere à construção de infra-estruturas naqueles países de língua portuguesa.

O primeiro-ministro da China anunciou igualmente a concessão de um donativo de 2 mil milhões de yuans aos países membros do Fórum de África e da Ásia – Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e Timor-Leste – para apoiar projectos que visem o bem-estar dos respectivos povos, nomeadamente agrícolas, de prevenção e combate à malária e de pesquisa de medicinas tradicionais.

O governo chinês vai por outro lado perdoar as dívidas já vencidas de empréstimos sem juros concedidos a países membros do Fórum de Macau de África e da Ásia no montante de 500 milhões de yuans.

Uma das novas medidas de apoio anunciadas por Li Keqiang visa o reforço do intercâmbio e cooperação na área da saúde, nomeadamente de saúde materna e infantil, tendo o primeiro-ministro anunciado que a China vai continuar a enviar para os países de língua portuguesa de África e da Ásia equipas médicas.

Em termos de formação, a China irá disponibilizar 2000 vagas de formação em diversas áreas e conceder anualmente 2500 bolsas de estudo.

Relativamente a Macau e ao papel que o território tem desempenhado enquanto plataforma entre a China e os países de língua portuguesa, Li Keqiang anunciou que a China irá apoiar Macau a transformar-se numa plataforma de serviços financeiros.

Macau irá, por outro lado, receber o secretariado da Confederação dos Empresários da China e dos Países de Língua Portuguesa e ser a sede de um centro de formação de profissionais bilingues em chinês e em português, sendo que a China vai disponibilizar 30 vagas para acções de formação com direito a diploma.

O território de Macau irá albergar igualmente o Centro de Intercâmbio Cultural e o Centro de Intercâmbio sobre a Inovação e o Empreendedorismo dos Jovens entre a China e os Países de Língua Portuguesa bem como o Complexo da Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, que foi hoje inaugurado pelo primeiro-ministro da China.

Este complexo destina-se, de acordo com as palavras do primeiro-ministro, a fornecer apoio substancial à cooperação entre os países membros do Fórum Macau nas áreas do comércio, investimento, convenções e exposições e actividades culturais. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH