Comércio entre a China e países de língua portuguesa excedeu 360 mil milhões de dólares em três anos

O valor acumulado das trocas comerciais entre a China e os países de língua portuguesa ultrapassou 360 mil milhões de dólares entre 2013 e 2015, recordou hoje em Macau a vice-ministra do Comércio da China, no decurso de um encontro de empresários.

Gao Yan recordou igualmente que a China é actualmente o maior parceiro comercial na Ásia de vários países de língua portuguesa, casos de Portugal, Angola, Cabo Verde e Brasil, sendo este último o maior parceiro comercial da China em termos mundiais há sete anos consecutivos.

Ao usar da palavra na Conferência dos Empresários e dos Quadros da Área Financeira entre a China e os Países de Língua Portuguesa, a senhora Gao salientou terem as empresas da China investido até à data 50 mil milhões de dólares nos países de língua portuguesa, assumindo-se como um dos principais investidores directos estrangeiros naqueles países, como por exemplo em Portugal e em Moçambique.

A fim de aprofundar ainda mais as relações comerciais e económicas entre a China e os países de língua portuguesa, a vice-ministra do Comércio apresentou uma proposta em três pontos.

Um desses pontos prende-se com a cooperação a nível da capacidade produtiva dos países de língua portuguesa, que considerou ser “o meio mais importante para concretizar a complementaridade de vantagens mútuas entre a China e aqueles países e ainda a realização de operações triangulares em mercados terceiros.”

O terceiro ponto refere-se especificamente a Macau, tendo a vice-ministra afirmado que o papel de Macau como a plataforma de serviços de comércio e de negócios entre a China e os países de língua portuguesa “evidencia-se de forma cada vez mais óbvia.”

A Conferência dos Empresários e dos Quadros da Área Financeira – co-organizada pelo Ministério do Comércio da China, Conselho para a Promoção do Comércio Internacional da China, IPIM e Autoridade Monetária de Macau – decorreu sob o tema “Inovação do modelo de prestação de serviços financeiros – Promoção da cooperação em capacidade industrial entre a China e os países de língua portuguesa.”

Na terça-feira, o primeiro-ministro da China disse que as empresas dos países de língua portuguesa constituíram mais de mil subsidiárias na China, enquanto o investimento das empresas chinesas nesses países está quase a atingir 50 mil milhões de dólares.

Ao abrir a 5.ª Conferência Ministerial do Fórum para Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, Li Keqiang adiantou que os projectos adjudicados a empresas chinesas nos países de língua portuguesa atinge já 90 mil milhões de dólares.

O primeiro-ministro salientou que as importações chinesas deverão atingir 8 biliões de dólares ao longo dos próximos cinco anos, que o investimento directo chinês no estrangeiro ascenderá a 50 mil milhões de dólares e que mais de 600 milhões de cidadãos chineses viajarão para o estrangeiro.

“Todos estes valores representam grandes oportunidades de negócio para empresas de todos os quadrantes do planeta, incluindo as dos países de língua portuguesa”, salientou Li.

O primeiro-ministro assegurou ainda os participantes na Conferência Ministerial que a China pretende utilizar todas as plataformas de financiamento, tais como a Nova Rota Marítima da Seda e Fórum para Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, para desenvolver tão depressa quanto possível um número importante de projectos.

Li Keqiang, que se deslocou a Macau para participar na 5.ª Conferência Ministerial, deixou o território hoje, quarta-feira. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH