Conferência Ministerial do Fórum de Macau foi uma das mais produtivas de sempre

A V Conferência Ministerial do Fórum de Macau foi uma das mais produtivas de sempre, com a apresentação de 18 medidas em favor dos países de língua portuguesa e de 19 outras de apoio ao desenvolvimento de Macau, afirmou quarta-feira o secretário para a Economia e Finanças.

O secretário Lionel Leong, ao efectuar um balanço da Conferência Ministerial, disse que a realização da Conferência representa não só o reconhecimento e afirmação do papel de Macau enquanto plataforma de serviços para a cooperação comercial entre a China e os países de língua portuguesa mas também um novo conjunto de oportunidades para o desenvolvimento de Macau.

De acordo com a imprensa local, Lionel Leong salientou o facto de Macau ir passar a albergar a sede do fundo de investimento anunciado pela China em 2013 para projectos em países de língua portuguesa dizendo tratar-se de “uma prenda de Pequim”, que irá fazer com que Macau se assuma como um verdadeiro centro financeiro.

“Esta mudança é muito vantajosa para Macau e também pode maximizar, ou aliás reflectir melhor, Macau como (um) centro financeiro. Não só pode maximizar o papel, mas ajudar-nos a realizar ou a processar todas as operações entre a China e os países de língua portuguesa”, observou Lionel Leong.

O secretário disse ainda que a transferência da sede do fundo de Pequim para Macau é muito útil para o território possa desempenhar melhor o seu papel de plataforma, através da prestação de um serviço melhor aos empresários da China e dos países de língua portuguesa.

Activado no final de Junho de 2013 – três anos depois de anunciado pelo então primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, no âmbito da III Conferência Ministerial do Fórum para a Cooperação Económica entre a China e os Países de Língua Portuguesa, o fundo aprovou até à  data o financiamento de apenas dois projectos, um proveniente da Angola e um chinês para Moçambique, no valor global de 16,5 milhões de dólares.

Lionel Leong referiu-se também às novas medidas destinadas a aprofundar o papel de Macau, que incluem a sua transformação numa plataforma de serviços financeiros entre a China e os países de língua portuguesa, a criação da Confederação dos Empresários da China e dos Países de Língua Portuguesa e de uma base de formação de profissionais bilingues em chinês e português.

As medidas incluem o Centro de Intercâmbio Cultural e o Centro de Intercâmbio sobre a Inovação e o Empreendedorismo dos Jovens entre a China e os Países de Língua Portuguesa, a construção do Complexo da Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa.

Na ocasião, o secretário para a Economia e Finanças informou que o comércio entre Macau e os países de língua portuguesa cifrou-se em 55,9 milhões de dólares de Janeiro a Agosto, número que representa um acréscimo homólogo de 16% (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH