Banco BPI deverá perder controlo do Banco de Fomento Angola

1 November 2016

Os accionistas do Banco BPI deverão aprovar a venda de 2% do Banco de Fomento Angola (BFA) à empresa de telecomunicações angolana Unitel por 28 milhões de euros, no decurso de uma assembleia-geral a ter lugar a 23 de Novembro na cidade do Porto, de acordo com uma comunicação ao mercado.

O Conselho de Administração do Banco BPI informa no comunicado divulgado através da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários que a venda é a “única solução” que foi “possível concretizar” para que o banco reduza a exposição a Angola e cumpra, assim, a exigência do Banco Central Europeu para resolver o “problema da ultrapassagem do limite dos grandes riscos com que o banco se confronta desde o fim de 2014.”

Actualmente, o BPI tem 50,1% do BFA e a Unitel 49,9%, pelo que com a venda a Unitel passará a controlar o banco angolano com 51,9%, ficando o BPI com 48,1%.

Para que essa venda aconteça é necessária a autorização do Banco Nacional de Angola — aceitando, nomeadamente, que a Unitel aumente a participação no BFA e a transferência de divisas para Portugal no valor de 28 milhões de euros — e dos accionistas do BPI, uma vez que o banco português perderá o controlo da importante filial de Angola quando está em curso a Oferta Pública de Aquisição do Caixabank sobre 100% do banco.

O BPI tem como principais accionistas o grupo espanhol Caixabank, que detém cerca de 45% do capital social, e a angolana Santoro, com 18,6%.

Entre os accionistas de referência do BPI contam-se ainda a seguradora Allianz, com 8,4%, a família Violas, com 2,68%, e o Banco BIC, com 2,28%, posição que se relaciona com a da Santoro uma vez que ambas as empresas têm a empresária angolana Isabel dos Santos como accionista de referência. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH