Standard & Poor’s agrava notação de risco de Moçambique

7 November 2016

A agência Standard & Poor’s (S&P) agravou a notação de risco de Moçambique tendo reduzido em um nível, de “CCC” par “CC”, a classificação da dívida soberana de longo prazo, de acordo com um comunicado divulgado sexta-feira.

A revisão surgiu na sequência do anúncio da intenção do governo de Moçambique em proceder a uma reestruturação dos seus encargos externos, que representa um incumprimento, de acordo com os critérios da S&P.

A S&P colocou o crédito soberano de Moçambique numa perspectiva de evolução negativa, reflectindo o seu entendimento de que a reestruturação dos títulos, com maturação em 2023, “é equivalente a um incumprimento financeiro.”

O governo de Moçambique assumiu oficialmente a 25 de Outubro a incapacidade financeira para pagar as próximas prestações das dívidas das empresas estatais com empréstimos avalizados pelo Estado, defendendo uma reestruturação dos pagamentos e uma nova ajuda financeira do Fundo Monetário Internacional.

Moçambique já beneficiou de um processo de reestruturação da dívida de 850 milhões de dólares contraída pela Empresa Moçambicana de Atum (Ematum), ao abrigo de um empréstimo igualmente com aval do Estado, ocorrido antes de serem conhecidos mais empréstimos a duas outras empresa públicas no montante de 1,4 mil milhões de dólares.

“Esta sucessão de incumprimentos evidencia uma fraca cultura de pagamento da dívida em Moçambique”, considerou a S&P, referindo-se igualmente às duas empresas beneficiadas com os novos empréstimos escondidos, a Proindicus e a Mozambique Assett Management (MAM), que falhou em Maio uma primeira prestação de 178 milhões de dólares.

Uma semana antes a agência Fitch Ratings havia anunciado ter mantido a notação de risco de Moçambique de longo prazo em “CC”, tanto em moeda estrangeira como em moeda local, tendo a dívida a curto prazo, tanto em moeda estrangeira como em moeda local, recebido a notação “C”, um nível abaixo de “CC”. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH