Economia de Timor-Leste expande-se a um ritmo “satisfatório”

9 November 2016

A actividade económica em Timor-Leste está-se a expandir a um ritmo “satisfatório”, ritmo esse que deverá manter-se em 2017, afirmou o Fundo Monetário Internacional (FMI), em comunicado divulgado segunda-feira em Washington.

O FMI afirma, no entanto, que a evolução económica timorense a médio prazo dependerá da capacidade de proceder à sua diversificação, atendendo a que a maior parte dos poços de petróleo actualmente em exploração deverão ficar esgotados por volta de 2020.

Uma equipa do FMI, liderada pela senhora Yu Ching Wong, visitou Timor-Leste de 24 a 28 de Outubro passado a fim de avaliar os desenvolvimentos económicos recentes e analisar as políticas governamentais, tendo realizado encontros com a ministra das Finanças, com os vice-governadores do Banco Central de Timor-Leste e mantido encontros com representantes do sector privado e da sociedade civil.

“O investimento público deve ser realizado de forma mais eficaz, concentrando-se em projectos com retornos mais elevados, determinados pela avaliação rigorosa de cada um desses projectos”, uma estratégia que “permitiria garantir mais eficácia aos gastos do Fundo Petrolífero”, de acordo com Yu Ching Wong.

O FMI diz que o Produto Interno Bruto (PIB) real não-petrolífero deverá crescer 5% este ano, apoiado pela despesa pública e que os preços devem descer 0,6%, com o saldo exterior a passar de excedente a um défice de 9,9% do PIB, “devido em grande parte ao forte aumento das importações relacionadas com o aumento dos investimentos públicos.”

O défice orçamental este ano será de 13,9% do PIB, com o aumento das despesas a ser financiado por levantamentos adicionais do Fundo Petrolífero (FP). (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH