Banco de Moçambique determina dissolução do Nosso Banco

14 November 2016

O Banco de Moçambique determinou a revogação da autorização para o exercício de actividade conferida ao Nosso Banco, o que implicou a sua dissolução e liquidação, informou o banco central em comunicado divulgado sexta-feira em Maputo.

A situação financeira da instituição tinha estado a caracterizar-se por uma degradação contínua dos principais indicadores prudenciais e de rendibilidade, nomeadamente uma fraca capitalização, uma estrutura económico-financeira insustentável, bem assim graves problemas de liquidez e de gestão, acrescenta a nota.

O banco central informou ainda ter o plano de reestruturação, incluindo a sua recapitalização e alteração da estrutura de administração e gestão, apresentado em 2014, não surgido os efeitos esperados e acrescentou que após sucessivos incumprimentos desse plano o banco demonstrou incapacidade de sair da difícil situação económico-financeira em que se encontrava tendo-se, por conseguinte, colocado numa situação inviável.

O banco, que era detido em 77,2% pelo Instituto Nacional de Segurança Social (INSS) de Moçambique, dispunha de uma sede, três agências e oito caixas automáticas, todas em Maputo.

Os restantes accionistas do banco eram a estatal Electricidade de Moçambique (16,13%), a SPI – Gestão e Investimentos, a SGPS do Partido Frelimo, no poder, com 4,09% e Alfred Kalisa, um homem de negócios do Ruanda e um dos fundadores da instituição, com 2,14%.

O Banco de Moçambique teve em Outubro passado de intervir no banco Moza a fim de garantir os interesses dos depositantes, “tendo em atenção que o rácio de solvabilidade se apresentava abaixo de zero”, de acordo com o comunicado divulgado na altura. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH