ENH de Moçambique aprova plano de investimento de projecto de gás natural

23 November 2016

A estatal moçambicana Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH) vai ter de desembolsar 800 milhões de dólares para garantir a sua quota-parte de 10% no projecto de exploração de gás natural na Área 4 da bacia do Rovuma, anunciou a empresa em comunicado divulgado em Maputo.

O comunicado adianta que o conselho de administração aprovou o plano de investimento para o projecto Coral Sul, que exigirá um investimento por parte de todos os parceiros de 8000 milhões de dólares e que se destina à extracção e liquidificação de gás natural utilizando para o efeito uma plataforma flutuante no alto mar.

“A aprovação do plano de investimento pela empresa é uma etapa fundamental no processo que irá culminar com a aprovação da Decisão Final do Investimento (FID) e, posteriormente, com a execução do projecto”, afirmou o presidente da ENH, Omar Mithá, citado no comunicado.

Este projecto envolve a construção de seis poços ligados ao sistema de produção submarino e à unidade de produção flutuante, que terá uma capacidade de liquefacção de mais de 3,3 milhões de toneladas de gás natural por ano.

A Decisão Final de Investimento será alcançada após a aprovação do plano de investimento pelos restantes parceiros do projecto e após a garantia do financiamento.

Durante a fase de pesquisa, os concessionários da Área 4 fizeram um investimento de cerca de 2,8 mil milhões de dólares.

O grupo italiano ENI é o operador da Área 4, com uma participação indirecta de 50%, através da subsidiária ENI East Africa, que detém uma participação directa de 70%.

Os restantes parceiros são a Galp Energia de Portugal, Kogas da Coreia do Sul e a Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH), que detêm 10% cada uma, respectivamente, e a China National Petroleum Corporation, que detém 20% de participação indirecta através da ENI East Africa. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH