Accionistas do BPI adiam para Dezembro decisão sobre venda de 2% do Banco de Fomento Angola

24 November 2016

A decisão sobre a venda de uma parcela de 2% do Banco de Fomento Angola (BFA) pelo Banco BPI à angolana Unitel foi adiada para 13 de Dezembro, de acordo com uma proposta apresentada pelo accionista maioritário, CaixaBank e aprovada no decurso da assembleia-geral realizada quarta-feira na cidade do Porto.

O CaixaBank pediu a suspensão daquele ponto da agenda argumentando não estarem ainda reunidas as condições nem ter sido dada autorização por parte do Banco Central Europeu para que a venda correspondesse a uma redução da exposição a Angola.

O registo da Oferta Pública de Aquisição do CaixaBank sobre o BPI, cujo pedido se encontra na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, está dependente da autorização do Banco Nacional de Angola, que até agora não foi concedido, apesar de até o Banco Central Europeu ter já dado autorização.

A imprensa portuguesa escreveu que o banco central angolano só deverá conceder a autorização depois de a venda dos 2% do Banco de Fomento Angola estar aprovada em assembleia-geral do BPI.

A venda da parcela de 2% e consequente redução de 50,1% para 48,1% da participação do BPI no BFA representa para o banco português um encaixe de 28 milhões de euros, tendo sido proposta em Setembro passado pela administração do BPI. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH