Macau retoma crescimento económico em 2017, escreve The Economist

9 December 2016

O Produto Interno Bruto de Macau (PIB) deverá retomar a senda do crescimento em 2017, ano em que a Economist Intelligence Unit (EIU) antecipa uma taxa de 5,2%, que subirá um décimo de ponto percentual para 5,3% em 2018, de acordo com o mais recente relatório sobre o território.

A economia de Macau registou uma contracção de 21,5% em 2015 e deverá encerrar o ano em curso com uma quebra de 3,5%, depois de se ter contraído 5,4% de Janeiro a Setembro mas de ter crescido 4,0% no terceiro trimestre.

A formação bruta de capital fixo ou investimento deverá continuar a cair em 2017, com a EIU a prever uma contracção de 8,5%, antes de no ano seguinte retomar o crescimento, embora com uma variação positiva marginal de 0,5%.

A EIU, segundo relatório a que a Macauhub teve acesso, prevê que a taxa de inflação mantenha a tendência de queda em 2017, com uma taxa de 1,5%, antes de voltar a subir ganhando seis décimos de ponto percentual relativamente à previsão de 2,3% para o ano prestes a encerrar.

O saldo orçamental do governo de Macau manter-se-á relativamente inalterado, com um valor de 8,0% do Produto Interno Bruto, que compara com 10,0% registados em 2015, devendo cair para 7,8% em 2017 e 7,5% em 2018.

O relatório agora divulgado menciona o aumento registado há quatro meses consecutivos das receitas brutas dos casinos e refere que os atrasos verificados em alguns empreendimentos turísticos devido à queda das receitas do jogo mas a abertura do novo hotel/casino do concessionário norte-americano Wynn Resorts parece indicar que os restantes projectos mantêm os respectivos calendários.

De salientar igualmente a queda verificada no chamado segmento VIP, que a EIU atribui à campanha anticorrupção em vigor na China, bem como o facto de a recuperação verificada no sector do jogo, a principal indústria de Macau, ter estado assente no segmento de massas. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH