Crescimento em Moçambique cai para cerca de metade face a 2015, segundo o Banco Mundial

13 December 2016

O Banco Mundial (BM) prevê para 2016, em Moçambique, um crescimento económico de 3,6 por cento – cerca de metade dos 6,6 por cento registados em 2015 – segundo um relatório divulgado em Maputo.

O documento prevê uma queda de 17 por cento no investimento directo estrangeiro em Moçambique e uma redução de oito por cento nas exportações e a desvalorização de 42 por cento do metical face ao dólar americano nos primeiros 10 meses do ano.

O enfraquecimento do metical, prossegue o relatório, acelerou o ritmo da inflação para 25 por cento em Outubro,”o que torna o aumento do custo de vida o sintoma mais acentuado da contínua desaceleração económica para os moçambicanos (…) cuja população pobre é a mais sacrificada com a crise”.

Embora reconheça que a consolidação fiscal e o aperto monetário, que se fizeram sentir a partir do segundo semestre, “também estão a contribuir para a desaceleração do crescimento”, o Banco Mundial aponta, por outro lado, sinais de que as medidas de austeridade estão a reduzir as pressões sobre a posição externa, à medida que as importações diminuem e o metical se mantém relativamente estável desde Outubro.

O relatório refere ainda que os grandes projectos previstos para Moçambique “poderão beneficiar de um impulso a curto-prazo”, associado à valorização das cotações das matérias-primas e que as perspectivas de produção de gás natural no Norte de Moçambique abrem possibilidades de recuperação do crescimento para 6,6 por cento até 2018.

O BM adverte, no entanto, que a confiança e a estabilidade económica dependem do resultado do pedido de reestruturação da dívida, solicitada pelo governo, e do tratamento dado à auditoria independente.(macauhub)

MACAUHUB FRENCH