Angola pretende emitir 28 mil milhões de dólares de dívida em 2017

24 January 2017

O Plano Anual de Endividamento de Angola prevê para 2017 necessidades brutas de financiamento de 4,667 biliões de kwanzas (28 mil milhões de dólares), sendo 75% deste total para angariar no mercado interno, disse segunda-feira em Luanda o secretário de Estado do Tesouro do Ministério das Finanças.

Mário Nascimento, que discursou no encontro que serviu para a apresentação pública do Plano Anual de Endividamento (PAE), disse que no mercado interno será colocada dívida pública no montante de 3,5 biliões de kwanzas, com a restante parcela a ser captada no mercado externo.

No encontro, que reuniu representantes da banca, da Comissão de Mercados de Capitais e da Bolsa de Dívida e Valores de Angola, o secretário de Estado do Tesouro referiu que o montante de dívida pública deverá representar 53,29% do Produto Interno Bruto no final de 2017.

O director da Unidade de Gestão da Dívida (UGD), Osvaldo João, salientou que o financiamento líquido para o Estado será de 1,087 biliões de kwanzas (6,5 mil milhões de dólares), sendo o restante para amortizações de dívida a realizar durante o ano.

No mercado interno, com Bilhetes de Tesouro o Estado angolano prevê emitir dívida no valor de 1,568 biliões de kwanzas (9,4 mil milhões de dólares), a várias maturidades, enquanto para Obrigações do Tesouro estão previstos 1,803 biliões de kwanzas (10,8 mil milhões de euros) e em contractos mútuos com os bancos 122,7 mil milhões de kwanzas (690 milhões de euros).

O endividamento público de Angola (exceptuando a dívida contraída pelas empresas do Estado) deverá, na previsão do governo, deverá aumentar de 52,47% em 2016 para 53,29% do Produto Interno Bruto (PIB) este ano, um máximo histórico mas abaixo do referencial de 60% legalmente definido. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH