Empresas estrangeiras vão transformar gás natural em Moçambique

3 February 2017

As propostas apresentadas pelas empresas Yara International, Shell Mozambique e GL Energy Africa foram as vencedoras de um concurso público internacional para o desenvolvimento de projectos de gás natural em Moçambique, anunciou o Instituto Nacional do Petróleo em comunicado recentemente divulgado em Maputo.

A empresa Yara International, da Noruega, irá produzir adubos e entre 30 a 50 megawatts de energia eléctrica, a Shell Mozambique produzirá gasóleo e entre 50 a 80 megawatts de energia eléctrica e a GL Africa Energy, empresa do Quénia com sede em Londres, produzirá 250 megawatts de energia eléctrica a partir de gás natural.

O concurso público internacional foi lançado a 26 de Agosto e encerrado a 17 de Novembro de 2016, tendo o Instituto Nacional do Petróleo recebido 14 propostas para diversos projectos apresentados pelas empresas ou grupos Mitsui, Engro Fertilizer, Shell Mozambique BV, Electricidade de Moçambique, Yara International, Marubeni, GL Africa Energy, Muinvest, Auto-Gás, Epsilon, Jiangsu Sinochem Construction Company, consórcio Union-JNC-JSPDI-VBC-SAL, Gas Nosu e MOTSE.

Estes projectos vão transformar parte do gás natural que irá ser extraído de depósitos de grande dimensão existentes em pelo menos dois blocos – Área 1 e Área 4 – da bacia do Rovuma, no norte de Moçambique junto à fronteira com a Tanzânia.

Os dois blocos têm como operadores os grupos norte-americano Anadarko Petroleum e italiano ENI, sendo que este último – Área 4 – é aquele que se encontra mais próximo de começar a funcionar. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH