Investimento em Portugal está em queda acelerada

8 February 2017

O investimento em Portugal está mais de 30% abaixo do valor registado em 2005, afirmou a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económicos (OCDE) em relatório recente sobre a evolução da economia portuguesa, no qual acrescenta que o desemprego manter-se-á a dois dígitos nos próximos anos.

O crescimento económico em 2017 não deverá exceder 1,2% e o consumo das famílias, que desempenhou recentemente um papel importante, “deverá perder peso porque a criação de emprego é demasiado fraca para as despesas dos consumidores continuarem a expandir-se ao nível actual.”

O relatório adianta que o investimento deverá “continuar fraco” e que as exportações “vão crescer menos” do que nos anos anteriores, em parte devido à queda da procura da China e de Angola, embora deva “continuar a ser a força por trás do crescimento neste ano e no próximo.”

A OCDE reconheceu que o desemprego está a diminuir, mas continua em “níveis desconfortavelmente elevados”, em 10,5%, uma taxa que atinge 26,1% entre os jovens.

O relatório adianta que as reformas estruturais já feitas permitiram um “crescimento das exportações”, sublinhando que Portugal exporta agora mais de 40% do Produto Interno Bruto (PIB), quando em 2005 as exportações representavam apenas 27%.

A organização diz ainda que, em Portugal, o crescimento é lento e coloca dificuldades a nível orçamental, as fragilidades dos bancos têm de ser resolvidas o quanto antes e que é preciso recuperar o investimento e apostar na formação profissional.

Entre as recomendações da OCDE para Portugal contam-se continuar a consolidação orçamental a fim de reduzir a dívida pública, reforçar incentivos para reduzir o crédito malparado nos bancos e reduzir a duração dos julgamentos e o número de casos pendentes nos tribunais. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH