Banco brasileiro associa-se a grupo chinês para investimentos no Brasil

8 March 2017

O Banco Modal (https://www.modal.com.br/html/index.php) e o grupo China Communications Construction Company (CCCC) estão a analisar a realização de investimentos chineses nos caminhos-de-ferro no Brasil, disse ao jornal Folha de São Paulo um dos sócios do banco.

Eduardo Central disse ao jornal que o Banco Modal, que já dispõe de uma parceria com aquele grupo chinês, está agora interessado na linha de caminho-de-ferro EF-170, conhecida no país por “Ferrogrão”, com uma extensão de 1142 quilómetros e na Norte-Sul, entre Tocantins e São Paulo, que consta igualmente do programa federal de concessões.

O banco constituiu a parceria MDC, designada de estratégica, com a australiana Macquarie Capital e o grupo CCCC para a realização de investimento iniciais no montante de 500 milhões de reais em infra-estruturas e redes logísticas na América Latina.

O sócio que prestou declarações ao Folha de São Paulo disse estarem em estudo diversos investimentos no sector da energia.

O Banco Modal é o assessor financeiro em exclusividade do grupo chinês no Brasil, onde já comprou uma participação de 80% da Concremat – Soluções Integradas de Engenharia, pela qual pagou 350 milhões de reais e vai comprar outra no Terminal de Uso Privado (TUP) de São Luís, no Maranhão, projecto multi-cargas da WPR, empresa do grupo WTorre.

O banco estabeleceu outra parceria relacionada com a China com o fundo norte-americano TPG, que em Dezembro passado encerrou o escritório no Brasil e lançou um fundo de investimento com uma dotação inicial de quatro mil milhões de dólares para aplicação em países emergentes. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH