Moçambique analisa dificuldades no escoamento de excedentes agrícolas

21 March 2017

A condição precária de algumas vias de acesso nas zonas centro e norte de Moçambique poderá dificultar o escoamento de excedentes agrícolas, tema que estará em debate em encontro a realizar-se em Mocuba, distrito da província da Zambézia, dia 24 de Março corrente, disse a directora nacional de Comércio Interno.

Zulmira Macamo, citada pela agência noticiosa AIM, disse segunda-feira em Maputo que as estradas que necessitam de obras de reparação antes da início da fase de escoamento estão, na sua maioria, nas províncias nortenhas de Nampula, Cabo Delgado e Niassa e nas centrais de Sofala, Zambézia, Manica e Tete.

A produção agrícola de Moçambique deverá ser mais elevada nestas províncias, estando prevista para a presente campanha agrícola uma produção nacional de 3,3 milhões de toneladas de cereais e de 500 mil toneladas de produtos hortícolas.

A responsável adiantou que os ministérios da Indústria e Comércio e o das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos estão a analisar quais as acções que podem ser desenvolvidas com vista ao escoamento dos produtos agrícolas.

O Primeiro Fórum de Comercialização Agrícola e o Lançamento da Campanha da Comercialização Agrícola vai servir para um entre o governo e intervenientes do processo de comercialização agrícola para avaliar quais as maiores dificuldades existentes.

A organização do encontro prevê a presença de mais de 400 participantes, entre produtores, compradores de excedentes, instituições envolvidas no âmbito das estradas e outras de comercialização agrícola, como o Instituto de Cereais de Moçambique, Bolsa de Mercadorias de Moçambique e instituições financeiras. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH