FMI defende que São Tomé e Príncipe evite contrair dívida

23 March 2017

São Tomé e Príncipe deve evitar endividar-se a fim de manter uma situação que seja sustentável, disse quarta-feira em São Tomé a nova chefe da missão do Fundo Monetário Internacional (FMI) para o arquipélago, Xiangming Li.

A missão do FMI iniciou a terceira avaliação do programa com São Tomé e Príncipe, que se prolongará por duas semanas, tendo mantido um primeiro encontro com o ministro das Finanças, Comércio e Economia Azul, Américo Ramos.

Xiangming Li, de nacionalidade chinesa, disse no final do encontro que a dívida pública do arquipélago está “um pouco elevada” mas acrescentou que “se o governo estiver atento a esta questão é possível a médio prazo controlar a dívida.”

O primeiro-ministro são-tomense, Patrice Trovoada, que regressou terça-feira de um encontro com os responsáveis do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial, em Washington, insiste na necessidade do país contrair mais dívida para investimento em infra-estruturas, de acordo com a agência noticiosa Lusa.

“Este país tem potencial, a questão das infra-estruturas é absolutamente crucial, é uma questão chave, mas há que encontrar formas de conseguir promover o desenvolvimento sem no entanto criar excesso de dívida”, sublinhou Xiangming Li.

A missão do FMI que se deslocou a São Tomé e Príncipe para avaliar a situação macroeconómica do país integra seis membros e inclui o director-adjunto do Departamento África, David Owen. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH