Angola aplicou mais de 120 mil milhões de dólares em obras públicas desde 2002

6 April 2017

O governo de Angola despendeu mais de 120 mil milhões de dólares na execução de obras públicas entre 2002, final da guerra civil e 2016, disse quarta-feira em Luanda o director do Centro de Estudos e Investigação Científica (CEIC) da Universidade Católica de Angola.

 

O economista Alves da Rocha reconheceu que esse período correspondeu a taxas de crescimento do Produto Interno Bruto “elevadas” mas acrescentou que a partir do momento em que o preço do barril de petróleo quebrou esta dinâmica, “o crescimento económico deixou de ter as mesmas características”, de acordo com a agência noticiosa Lusa.

 

Alves da Rocha adiantou que o nível elevado de investimento público ao longo de quase 15 anos não se repercutiu na produtividade das empresas, que continuam a ver a competitividade afectada, nomeadamente face aos produtos importados e apesar das restrições recentemente introduzidas na pauta aduaneira.

 

O “Relatório Energia em Angola 2016”, elaborado por aquele centro da Universidade Católica de Angola e quarta-feira divulgado, que reflecte também como a quebra nas receitas petrolíferas afectou a economia nacional, o crescimento e a possível “degradação dos consumos das famílias”, bem como a “redução substancial e mesmo encerramento” de empresas.

 

O documento refere que só no sector eléctrico já foram aplicados mais de oito mil milhões de dólares ao longo dos últimos anos e acrescenta que o sector, que tinha um peso de 1,2% no PIB do país em 2012, caiu para 0,2% em 2015, o equivalente a 204 milhões de dólares.

 

No final de 2015 Angola dispunha de uma potência instalada de 2354 megawatts, menos de metade do necessário para o consumo do país, sendo 916 megawatts produzidos em aproveitamentos hidroeléctricos e os 1428 megawatts produzidos em centrais térmicas. Macauhub)

 

 

MACAUHUB FRENCH