Preços da hotelaria em Angola têm de baixar para aumentar taxa de ocupação

24 April 2017

Os proprietários dos hotéis de Angola devem estabelecer preços que estejam de acordo com o poder de compra das pessoas a fim de permitir aumentar a taxa de ocupação dessas unidades, defendeu sexta-feira em Luanda o secretário-geral da Associação dos Hotéis e Resorts de Angola (AHRA).

 

O secretário-geral Ramiro Barreira salientou que estabelecimentos hoteleiros de algumas das províncias do país registam actualmente taxas de ocupação que se situam entre 5,0% e 15%, sendo necessário adoptar medidas no sentido de aumentar essa taxa para pelo menos 50%.

 

Ramiro Barreira, à margem do encerramento do primeiro curso para directores e gestores de hotéis das províncias do Moxico, Benguela, Malanje, Cuanza Norte, Huíla e Luanda, disse que a associação que dirige vai procurar encontrar um ponto de equilíbrio a fim de baixar os preços que a hotelaria está a praticar para ajustá-los à realidade do país.

 

O secretário-geral da AHRA disse também que caso a taxa de ocupação dos hotéis atingisse 50% seria possível aumentar o número de turistas tanto nacionais como estrangeiros e fazer com que a participação do sector na composição do Produto Interno Bruto superasse os actuais 0,65%.

 

O Ministério da Hotelaria e Turismo de Angola tem em curso um plano que visa fazer que com o número de turistas atinja 4,6 milhões até 2020.

 

Ramiro Barreira salientou que para que os proprietários possam baixar os preços que praticam é preciso que os custos associados ao fornecimento de energia eléctrica e de água baixem, bem como os impostos que pendem sobre o sector.

 

A Associação dos Hotéis e Resorts de Angola conta actualmente com 400 membros representados nas 18 províncias do país. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH