China disposta a apoiar a Guiné-Bissau no controlo das fronteiras

25 April 2017

A República Popular da China está pronta para apoiar a Guiné-Bissau na vigilância das suas fronteiras terrestres, marítimas e aéreas, revelou sábado em Bissau o embaixador chinês, Jin Hongjun.

 

O diplomata falava à saída de uma audiência que o Presidente da República, José Mário Vaz, concedeu a uma missão de oficiais das Forças Armadas da China que esteve no país nos dias 21 e 22 do mês em curso, tendo procedido a um levantamento exaustivo da situação das forças armadas da Guiné-Bissau.

 

Jin Hongjun disse ainda a missão surgiu em resposta a um pedido de apoio apresentado pelo chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas da Guiné-Bissau, general Biagué Na N’Tan, às autoridades militares chinesas, aquando da sua recente deslocação àquele país asiático.

 

A missão de oficiais foi ainda recebida pelo primeiro-ministro, Umaro Sissoco Embaló, pelo ministro da Defesa, Eduardo Costa Sanha e pelo chefe do Estado-Maior General das Forcas Armadas, bem como com pelas chefias dos três ramos militares.

 

O embaixador realçou que as sessões de trabalho realizadas deram bons resultados e acrescentou que acções concretas serão conhecidas dentro de pouco tempo.

 

“Refiro-me à necessidade de salvaguardar a soberania da Guiné-Bissau sobre o seu espaço aéreo, marítimo e terrestre” sublinhou Jin Hongjun, que mencionou a formação de quadros das Forças Armadas guineenses como outro dos assuntos abordados durante a estada da delegação chinesa.

 

A missão era constituída por oito oficiais dos três ramos das forcas armadas chinesas e chefiada pela coronel e directora-geral do Departamento dos Assuntos da Ásia Ocidental e África do Gabinete da Cooperação Militar Internacional do Ministério da Defesa Nacional da República Popular da China, Ren Ju. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH